Compreendendo as Gregas

Por
melver
24/05/2024 09h00Atualizado: 06/06/2024 10h57

As opções são instrumentos financeiros versáteis e poderosos que possibilitam aos investidores uma variedade de estratégias para gerenciar riscos e explorar oportunidades nos mercados. Nesse contexto, as chamadas “Gregas” constituem uma parte fundamental da análise e negociação de opções, pois facilitam a leitura da forma como as opções reagem a mudanças nas condições do mercado. Neste artigo, exploraremos as Gregas – Delta, Gama, Vega, Theta e Rho – no contexto de opções de compra e de opções de venda, abordando sua definição e discutindo como elas influenciam as decisões de negociação de opções.

Opções de Compra e Venda

As gregas são medidas associadas às opções de compra e venda. Assim, antes de mergulharmos nas gregas, é importante lembrarmos de alguns pontos sobre opções de compra e venda:

• Opção de Compra: contrato que concede ao titular (comprador) o direito, mas não a obrigação, de comprar o ativo subjacente a um preço predeterminado (preço de exercício) em (ou até) uma data futura específica.

• Opção de Venda: contrato que concede ao titular (comprador) o direito, mas não a obrigação, de vender o ativo subjacente a um preço predeterminado (preço de exercício) em uma data futura específica.

Para adquirir esse direito, o titular oferece um prêmio ao lançador (vendedor) da opção, que ficará com a obrigação de contrapartida. O prêmio é o valor da remuneração oferecida ao lançador da opção por assumir o risco da operação. O risco refere-se à obrigação de contrapartida caso o titular venha a exercer seu direito.

O valor do prêmio tem como referência um processo chamado de “precificação da opção”, que reflete a expectativa de rendimento (payoff) da opção. Assim, uma operação com opções pode ser compreendida como uma transferência de risco do titular para o lançador. As Gregas, por sua vez, informam qual é a influência marginal de mudanças nas condições de mercado sobre o valor do prêmio das opções.

As Gregas para negociação de opções

Agora, estamos prontos para explorar as gregas e como elas se aplicam ao estudo de estratégias com opções.

Delta \(\Delta\)

Delta representa a sensibilidade do preço da opção às mudanças no preço do ativo subjacente. Para opções de compra, o Delta é positivo, variando de 0 a 1. Isso indica que à medida que o preço do ativo subjacente aumenta, o preço da opção de compra também aumenta. Analogamente, para opções de venda, o Delta é negativo, variando de -1 a 0. Isso significa que à medida que o preço do ativo subjacente aumenta, o preço da opção de venda diminui. Por exemplo: um Delta de 0,5 em uma opção de compra indica que, se o preço do ativo subjacente subir em R$ 1,00, o preço da opção deve subir em cerca de R$ 0,50.

Gama \(\Gamma\)

Gama representa a taxa de variação do Delta em relação às mudanças no preço do ativo subjacente. Essa medida é particularmente relevante para comandar ajustes em posições de carteira, como no caso de hedging, de forma a gerenciar o Delta e manter o risco sob controle. Quanto maior o Gama, mais rápido o Delta muda em resposta a movimentos no preço do ativo subjacente. Por exemplo: um Gamma de 0,10 em uma opção com Delta igual a 0,50 indica que, se o preço do ativo subjacente subir em R$ 1,00, o Delta da opção deve subir em cerca de 0,10, para 0,60.

Vega \(\ni\)

Vega mede a sensibilidade do preço da opção às mudanças na volatilidade implícita do ativo subjacente. Tecnicamente, Vega não é uma letra do alfabeto grego, mas, por força do uso, acabou sendo incorporada à família de medidas conhecida como “As Gregas”.

A volatilidade implícita reflete a expectativa do mercado quanto à futura volatilidade do ativo subjacente. Assim, Vega é a medida de quanto o preço da opção varia mediante variações na volatilidade esperada do ativo durante o tempo restante de vida da opção. Quanto maior a volatilidade implícita, maior o preço da opção, pois a volatilidade está associada ao risco.

Assim, o aumento da volatilidade implícita tende a beneficiar uma posição comprada em opções, pois o valor das opções aumenta. Em contrapartida, se a volatilidade implícita diminuir, o preço das opções geralmente cai. Nesse contexto, Vega é utilizada para avaliar como as mudanças na volatilidade implícita afetarão o valor da posições. Por exemplo: um Vega de 0,05 em uma opção indica que, se a volatilidade implícita subir 10%, o preço da opção deve subir em cerca de R$ 0,50.

Theta \(Theta\)

O Theta representa a taxa de redução do valor da opção com o passar do tempo, todas as outras variáveis mantidas constantes. Ela reflete a perda de valor de uma opção devido ao tempo. Uma opção possui valor temporal e valor implícito. O valor temporal representa o valor atribuído à opção devido à incerteza sobre o que poderá ocorrer com o preço do ativo subjacente até o vencimento do contrato.

Quanto mais próxima a opção estiver da sua data de vencimento, mais rápido Theta afetará seu preço. Em outras palavras, isso significa que as opções perdem valor com o tempo, mesmo que o preço do ativo subjacente permaneça inalterado. Por exemplo: um Theta de -2,40 em uma opção de compra (em uma base anual) indica que, mantidas as demais condições constantes, em 1 mês a opção estará valendo R$ 0,20 a menos do que vale hoje, pois \(-2,40\cdot{1\over{12}}=-0,20\). Para quem utiliza plataformas de negociação, convém atentar para o fato de que é usual que o Theta seja apresentado em base diária.

Rho \(rho\)

Rho mede a sensibilidade do preço da opção às mudanças nas taxas de juros. A taxa de juros livre de risco é um elemento importante para a precificação de opções, e portanto variações da taxa de juros ao longo do tempo de vida da opção devem levar a variações no preço das opções. Em geral, Rho é mais relevante para opções de compra, pois a opção de compra trata do direito sobre a compra de uma ação que, em última análise, é a compra de um fluxo de caixa futuro. Para uma opção custando R$ 0,80 com Rho igual a 0,10, um aumento de 1% na taxa de juros anual levará a um aumento de 0,10 no preço da opção, e ela passará a custar R$ 0,90.

Conclusão

Ao negociar opções de compra e venda com o auxílio das Gregas, os investidores devem considerar a interação das Gregas entre si e ter clareza a respeito do papel das Gregas em sua estratégia. Compreender as gregas e sua aplicação prática é vital para a tomada de decisões seguras e informadas.

Por fim, as gregas desempenham um papel crucial na análise e negociação de opções, permitindo que a avaliação e gerenciamento de risco, o ajustes em posições e carteiras, e a identificação de oportunidades associadas a diferentes estratégias sejam amplamente facilitados. É importante notar que os valores das Gregas variam à medida que as condições do mercado evoluem. Portanto, elas requerem constante reavaliação à medida que as condições mudam e o tempo de vida da opção diminui.


Compartilhe:
® Todos os direitos reservados à Opções PRO.Termos e Políticas